PT e PSB recorrem a Lula em programa gratuito de BH

Patrus Ananias (PT) e Marcio Lacerda (PSB) podem usar declarações da presidente Dilma a partir desta quarta

Marcelo Portela, de O Estado de S. Paulo

21 de agosto de 2012 | 18h34

Um dia antes do início dos programas dos candidatos a prefeito nas TVs e rádios, os dois mais bem colocados na corrida pelo cargo em Belo Horizonte, o ex-ministro Patrus Ananias (PT) e o atual chefe do Executivo, Marcio Lacerda (PSB), já usaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em inserções veiculadas nesta terça-feira, 21, nas emissoras da capital. E ainda há possibilidade de ambos usarem declarações do líder petista e da presidente Dilma Rousseff no material que começa a ser veiculado a partir da quarta-feira, 22.

No caso de Patrus, as inserções desta terça tiveram o próprio Lula elogiando seu ex-ministro. O ex-presidente diz que, "quando quis mudar a política social do País, chamou Patrus". No texto, Lula afirma ainda que foi junto com o atual candidato à prefeitura de Belo Horizonte que "criamos o Bolsa Família", um dos maiores programas sociais do governo federal "que é hoje copiado pelo mundo, e que Patrus "pensa além do seu tempo", mas "do ladinho das pessoas".

Já a campanha de Lacerda, que disputa a reeleição com apoio do PSDB, veiculou spot no qual um locutor lembra que o socialista foi preso por combater o regime militar, bandeira empunhada por boa parte das lideranças petistas. E ressalta que depois ele "ingressou na vida pública, trabalhando no governo Lula e no governo Aécio". Lacerda foi secretário-executivo do então ministro Ciro Gomes e, em Minas, atuou na gestão tucana como secretário de Desenvolvimento Econômico.

No último fim de semana, o prefeito disse que não pretendia usar declarações de Lula e Dilma em seus programas. Mas a campanha guarda imagens do ex-presidente elogiando o prefeito - que foi eleito em 2008 em aliança com o PT - e da atual chefe do Executivo federal dizendo, em sua última visita à capital, que Lacerda "o melhor prefeito do País". "O uso desse material ainda não está definido e será apenas em último caso", declarou o coordenador de Comunicação da campanha, Regis Souto.

Mas esse tipo de munição pesada também faz parte do arsenal da candidatura petista. Entre o material, há, por exemplo, diversas declarações do candidato a vice de Lacerda, o deputado estadual Délio Malheiros (PV), que lançou candidatura própria e foi um dos mais ferrenhos críticos do prefeito durante toda a gestão do socialista. Uma das críticas foi feita em entrevista coletiva concedida quatro dias antes de Malheiros anunciar a adesão à campanha de Lacerda, na qual o deputado afirmou que não apoiaria o prefeito "nem no segundo turno". "Tudo tem que ser levado em conta", ressaltou Gleber Naime, coordenador de Comunicação de Patrus.

A princípio, porém, as duas campanhas pretendem exibir principalmente material propositivo. Lacerda terá direito a 14 minutos e 19 segundos no horário eleitoral, além de 1.289 inserções, contra oito minutos e 22 segundos e 754 inserções de Patrus, mas o PSD nacional ainda briga na Justiça para apoiar o petista e passar à sua campanha os pouco mais de dois minutos a que tem direito.

Segundo Gleber, os primeiros programas vão mostrar a trajetória de Patrus. para "criar intimidade" e mostrar "o vínculo do Patrus com a cidade". "Ele deixou a prefeitura há 16 anos. Apesar de estar sempre ligado a Belo Horizonte, tem gente entre o eleitorado mais jovem que não o conhece", observou. Já Regis Souto informou que o material que será exibido no início da campanha terá como "eixo central" serão "as realizações do governo". "Foi o maior conjunto de obras e de investimentos sociais na história da cidade", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012BHprogaganda gratuita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.