PT e PMDB intensificam corpo-a-corpo em Salvador

Tanto o PT quanto o PMDB prometem intensificar o corpo-a-corpo no final da semana que marca o término da campanha eleitoral de Salvador. As duas siglas estimam que um efetivo extra de três mil pessoas vai trabalhar na divulgação de cada candidato. O PT, de Walter Pinheiro, além de contar com os apoiadores de municípios da região metropolitana - onde venceu a disputa por quatro das 11 prefeituras - conseguiu o apoio das principais centrais sindicais, que prometem levar os integrantes às ruas a partir de amanhã. O PMDB, do atual prefeito João Henrique Carneiro, recebe o apoio dos cabos eleitorais do DEM e do PR, além de convocar correligionários de outros municípios vizinhos de Salvador, em especial dos três que elegeram candidatos tanto do partido quanto do DEM.A partir de amanhã as cenas devem ficar mais freqüentes. Os dois partidos prometem inundar a cidade de cabos eleitorais. Para isso, vão lançar mão de militantes de outros partidos e até de outras cidades. A expectativa é que o número de apoiadores dos candidatos nas ruas dobre até domingo. O PT já anunciou que vai trazer cerca de dois mil militantes das quatro cidades da região metropolitana em que foi vencedor - Camaçari, Lauro de Freitas, São Francisco do Conde e Vera Cruz, em especial das duas primeiras. Além disso, conta com o apoio das principais centrais sindicais do Estado na mobilização. "Estamos na rua para mostrar a importância de se eleger um trabalhador", disse o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na Bahia, Martiniano José Santos Costa. Os militantes vão atuar, principalmente, no maior reduto eleitoral de Carneiro no primeiro turno, o Subúrbio Ferroviário - onde teve 48% dos votos -, e nos pontos onde Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), terceiro colocado no primeiro turno, teve mais votação, os bairros nobres dos arredores da Graça e da Barra.No PMDB, a tática é semelhante. Militantes de Candeias e Madre de Deus, cidades da região metropolitana nas quais o partido conquistou a prefeitura, já foram convocados para assumir seus postos no subúrbio a partir de quinta-feira e, assim, tentar consolidar a força de Carneiro na periferia. Além disso, com o apoio recebido do DEM, a campanha peemedebista foi presenteada com a tropa responsável pelos mais de 26% dos votos de Neto no primeiro turno, como as 1.500 lideranças comunitárias que trabalharam pela candidatura democrata - indo de porta em porta nos bairros. "Nosso apoio é integral, vai dos candidatos a vereador a toda a equipe que trabalhou conosco", disse ACM Neto. "Estamos nas ruas, pedindo votos. Agora, somos 15."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.