PT decide concentrar ataques em Demóstenes

Resolução aprovada ontem pelo comando da sigla fala em 'impedir operação abafa'

O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2012 | 03h07

Após anunciar apoio à criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as ligações políticas do contraventor Carlinhos Cachoeira, o PT declarou que pretende concentrar seus ataques no senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) e nos meios de comunicação.

Em uma resolução aprovada ontem em Brasília, o comando nacional petista afirma que deve impedir uma "operação abafa" em torno de Demóstenes e expor "a associação de um setor da mídia" com Cachoeira.

"Cabe ao PT impedir que se consume uma operação abafa em torno do envolvimento do senador Demóstenes Torres com a organização criminosa comandada pelo notório Carlos, alcunhado de Carlinhos Cachoeira", diz o texto.

A resolução menciona o suposto envolvimento de Cachoeira com o governador goiano, Marconi Perillo (PSDB), mas não cita o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT).

Apesar de acusar a imprensa de tentar ocultar as acusações feitas a Demóstenes, o documento elaborado pela executiva nacional petista cita gravações realizadas pela Polícia Federal que foram divulgadas por jornais, revistas e emissoras de televisão nas últimas semanas.

"As gravações divulgadas até o momento envolvem o próprio governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), bem como apontam estreitas ligações entre o meliante Cachoeira e veículos de comunicação", afirma.

'Farsa do mensalão'. O texto segue o tom de um vídeo gravado pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão, divulgado anteontem. Sem citar nomes ou partidos, ele afirma que a CPI deve investigar "os autores da farsa do mensalão", a quem chama de "falsos moralistas".

"A bancada do PT na Câmara e no Senado defende uma CPI para apurar esse escândalo dos autores da farsa do mensalão", afirma Falcão. "É preciso que a sociedade organizada, movimentos populares, partidos políticos comprometidos com a luta contra a corrupção, como é o PT, mobilizem-se para impedir a operação abafa, e para desvendar todo o esquema montado por esses criminosos, falsos moralistas que se diziam defensores da moral e dos bons costumes."

O presidente do PT afirma que a investigação deve "apurar todos os vínculos desse senador (Demóstenes) e de políticos de diferentes partidos com o jogo do bicho, com o contrabando e com informações privilegiadas de operações policiais".

Na resolução divulgada ontem, o PT cita a suposta "operação abafa" em torno de Demóstenes para cobrar a regulação dos meios de comunicação.

"Ficou evidente a associação de um setor da mídia com a organização criminosa da dupla Cachoeira-Demóstenes, a comprovar a urgência de uma regulação que, preservada a liberdade de imprensa e a livre expressão de pensamento, amplie o direito social à informação", diz o texto.

O documento também defende o funcionamento da Comissão da Verdade e a aprovação da proposta que criminaliza a homofobia, "paralisada por fortes pressões fundamentalistas". / BRUNO BORGHOSSIAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.