PT decide apoiar reeleição de candidato do PDT no 2º turno em Fortaleza 

PT decide apoiar reeleição de candidato do PDT no 2º turno em Fortaleza 

Decisão foi tomada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo presidente da legenda, Rui Falcão, como parte da estratégia de criar uma frente eleitoral de partidos de esquerda no segundo turno em todo o País

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

04 de outubro de 2016 | 15h54

BRASÍLIA - Derrotado no primeiro turno em Fortaleza (CE), o PT decidiu apoiar no segundo turno o atual prefeito da cidade, Roberto Cláudio (PDT), que tenta reeleição. O apoio foi decidido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo presidente do PT, Rui Falcão, como parte da estratégia de criar uma frente eleitoral de partidos de esquerda no segundo turno no Brasil, após a derrota avassaladora do partido na eleição do último domingo, 2.

"A tendência natural, por conta da aliança nacional, é apoiar o PDT", afirmou ao Broadcast Político o deputado federal José Guimarães (PT-CE), vice-presidente nacional do PT. De acordo com o parlamentar, o ex-presidente Lula ligou para ele nesta terça-feira, pedindo para "agilizar" o acordo na capital cearense. O apoio dos petistas ao candidato do PDT será oficializada nesta quarta-feira, 5, em reunião do diretório municipal do PT. 

"É o melhor para o PT. Não podemos apoiar a chapa apoiada pelos dois maiores golpistas no Ceará", disse Guimarães (CE), ex-líder do governo Dilma Rousseff na Câmara. Ele se referia aos senadores cearenses Eunício Oliveira, líder do PMDB no Senado, e Tasso Jereissati (PSDB). Ambos votaram pelo impeachment de Dilma e apoiam o candidato Capitão Wagner (PR), adversário do PDT no segundo turno em Fortaleza. 

Além de ser parte da estratégia da frente eleitoral de esquerda, o apoio do PT ao PDT no Ceará foi articulada como uma forma de "gratidão" do partido aos ex-ministros Cid e Ciro Gomes, do PDT, principais apoiadores do prefeito Roberto Cláudio. Ao lado do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), os irmãos Gomes atuaram para tentar barrar o impeachment de Dilma quando o processo tramitava na Câmara e no Senado Federal. 

Isolada. O apoio do PT ao PDT em Fortaleza vai isolar a deputada petista Luizianne Lins (CE), que ficou em terceiro lugar na disputa pelo comando da cidade. Adversária de Cid no Ceará, ela é contra a aliança. Os dois foram aliados até 2012, mas romperam a aliança naquele ano, quando o ex-ministro lançou Roberto Cláudio para prefeito como adversário do candidato apoiado pela petista, Elmano de Freitas (PT), que acabou perdendo a eleição. "Ela vai ter que mergulhar um pouco", diz Guimarães. 

Procurada, Luizianne evitou comentar a articulação de Lula e Guimarães em Fortaleza e disse que se tratam de posições "individuais". Segundo ela, a decisão oficial só será tomada nesta quarta-feira. A petista evitou ainda dizer como deve se posicionar no segundo turno: se ficará neutra ou se apoiará Capitão Wagner, que busca o apoio informal dela. "Estou tentando falar com ela desde ontem, mas ainda não consegui", disse o candidato do PR.

Cid e Ciro Gomes tentavam conseguir o apoio do PT em Fortaleza desde antes do início da campanha. O partido de Lula, porém, não pode apoiar, pois Luizianne lançou candidatura própria do PT para prefeito da cidade. A petista, porém, não contou com apoio do governador do Ceará, Camilo Santana. Mesmo sendo do PT, o gestor apoiou informalmente o candidato do PDT no primeiro turno, retribuindo apoio que recebeu dos irmãos Gomes na eleição de 2014.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.