PSDB sai fortalecido da eleição, avalia FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou hoje que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), sai bastante fortalecido para a disputa presidencial em 2010 com a eventual reeleição do prefeito Gilberto Kassab (DEM), em São Paulo. "Há o fortalecimento do governador de São Paulo por causa do relacionamento estreito que os dois têm (Serra-Kassab). Isso é positivo."Fernando Henrique ressaltou não descartar nenhum nome do partido à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pois a eventual vitória de Márcio Lacerda (PSB) em Belo Horizonte também fortaleceria o governador Aécio Neves (PSDB) para o pleito, que ocorrerá em dois anos. "Nós temos bons candidatos. Não vou excluir nenhum nesse momento. Mas o PSDB tem que ter a capacidade de também não se perder em discussões internas porque tem que se unificar, unir, para poder fazer alianças."Questionado se a chapa Serra-Aécio ou Aécio-Serra seria possível, o ex-presidente sorriu e afirmou: "Isso seria o meu sonho. Mas outra coisa é ser realista. Temos que ver quais são os objetivos de cada um e como as outras forças políticas se posicionam, quais serão os adversários, se o presidente Lula vai insistir no nome da ministra Dilma (Roussef)." Para o ex-presidente, "o PSDB não precisa se precipitar". "Isso (a escolha do partido para 2010) virá com naturalidade", afirmou. Ele lembrou que ninguém ganha a eleição e governa com um só partido. "Os partidos terão que participar amplamente desse processo."Na avaliação de FHC, que votou por volta das 10h20 no Colégio Nossa Senhora do Sion, em Higienópolis, o PSDB além de estar unido deverá também ter um programa de governo sólido para apresentar à população em 2010. "O PSDB tem força eleitoral, tem pessoas que são capazes de mobilizar opinião", disse.Pluralismo O ex-presidente afirmou que, independentemente do resultado das urnas, o PT perdeu o controle dos grandes centros eleitorais do Brasil e foi substituído, de alguma maneira, por outros partidos como o antigo PFL (hoje DEM). "Pode ser que o PT ganhe algumas (prefeituras importantes), é natural. Democracia é isso, é pluralismo, o que é ruim é quando existe uma espécie de avalanche, com um só partido, e isso não vai acontecer."Fernando Henrique não vê risco de a disputa no primeiro turno da eleição em São Paulo, entre o tucano Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab, provocar algum tipo de seqüela política caso o candidato do DEM seja reeleito prefeito hoje. "Temos que ver o bem da cidade de São Paulo", disse sorrindo. Para FHC, Kassab deverá manter a composição do seu secretariado, que tem vários assessores vinculados ao PSDB. "Ele (Kassab) é uma pessoa inteligente, viu que deu certo e não mudar nada."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.