PSDB pode expulsar deputado que aceitou trabalhar com Paes

Os tucanos se reúnem para decidir se um filiado pode integrar uma administração que não seja do PSDB

Agência Brasil

28 de outubro de 2008 | 17h27

O Diretório Regional do PSDB pode expulsar do partido o deputado estadual Pedro Paulo Carvalho por aceitar o convite para trabalhar no governo de transição do prefeito eleito no Rio, Eduardo Paes (PMDB). Na próxima semana os tucanos se reúnem para decidir se um filiado pode integrar uma administração que não seja do PSDB ou que não tenha o apoio da legenda. O deputado Pedro Paulo já aceitou o convite para estar à frente da Casa Civil da nova prefeitura. De acordo com o presidente do diretório regional do PSDB, deputado estadual Luiz Paulo Corrêa, o futuro de Pedro Paulo será decidido na próxima segunda-feira. "Eu não estou dizendo que ele será expulso. Primeiro vamos nos reunir para decidir (o caso)". Ao sair da casa de Eduardo Paes, Pedro Paulo Carvalho disse que o trabalho na cidade está acima de questões partidárias. "De pronto aceitei a convocação do novo prefeito para integrar a equipe de governo. Acho isso irreversível, porque têm questões muito mais importantes da cidade, como saúde e educação. Isso deve estar acima das questões partidárias, mas o PSDB tem suas instâncias para discutir isso e estou à disposição para conversar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.