Reprodução|Facebook
Reprodução|Facebook

PSDB e PMDB disputam segundo turno em Maceió

O candidato do PSDB e atual prefeito de Maceió, Rui Palmeira, disputará o segundo turno com o candidato do PMDB, Cícero Almeida

Carlos Nealdo, Especial para o Estado

02 de outubro de 2016 | 22h02

MACEIÓ- O candidato do PSDB e atual prefeito de Maceió, Rui Palmeira, disputará o segundo turno com o candidato do PMDB, Cícero Almeida. O tucano teve 46,86% dos votos válidos, contra 24,73% do peemedebista. O candidato JHC, do PSB, ficou em terceiro lugar com 21,78% dos votos válidos.

O número de abstenções atingiu 99.085 eleitores, o correspondente a 17,08% do total de votantes. Além disso, 41.612 eleitores (8,65% do total) anularam o voto, e outros 18.559 votaram em branco. No total, 480,8 MIL eleitores compareceram às urnas na capital alagoana neste domingo.

Para o segundo turno, as alianças poderão ser decisivas na disputa à prefeitura. Tanto Rui Palmeira quanto Cícero Almeida deverão tentar se aliar ao candidato JHC, que obteve 91.650 votos.

No primeiro turno, o candidato do PSB travou uma batalha com o candidato tucano. Nos quatro debates promovidos pelas TV locais, os dois trocaram acusações e mantiveram o ar sarcástico entre si.

Além deles, disputaram as eleições em Maceió os candidatos Gustavo Pessoa (PSOL), Paulo Fernando dos Santos (PT), Fernando do Village (PMN) e Paulo Memória (PTC).

O PMDB de Renan Calheiros perdeu as eleições nos dois principais colégios eleitorais de Alagoas. Além de Maceió, o partido foi derrotado em Arapiraca, distante 127 km da capital. Lá, o candidato do PSDB, Rogério Teófilo, ganhou com 38,04% dos votos válidos.  O candidato do PMDB, Ricardo Nezinho, ficou em segundo lugar com 37,80% dos votos válidos. Com o PSDB fortalecido nos dois maiores colégios eleitorais, o partido do governador Renan Filho vê o projeto político de 2018 ameaçado. 

VOTOS

Rui Palmeira (PSDB) 197.134 votos

Cícero Almeida (PMDB) 104.036 votos

JHC (PSB) 91.650 votos

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2016MaceióPsdbPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.