PSDB é barrado após lançar 2 candidatos a prefeito na mesma cidade

Justiça proíbe qualquer tipo de campanha do partido pela Prefeitura de Pouso Alegre (MG) até que defina a situação

Rene Moreira, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2016 | 12h16

Em Pouso Alegre, cidade no Sul de Minas Gerais, os candidatos a prefeito pelo PSDB somente poderão fazer campanha após uma decisão da Justiça, que deve sair em setembro. O problema é que no município o partido lançou dois candidatos após divergências entre os diretórios municipal e estadual.

Enquanto a situação não é definida, Chico Rafael (PSDB) e Rafael Simões (PSDB), não podem fazer qualquer tipo de propaganda ou mesmo dar entrevistas. Sendo assim, somente os candidatos de outros partidos estão em campanha, sendo eles Alexandre Magno (PMDB), Ricardo Puccini (PV), Virgília Rosa (PSB) e Wilson Vicente (PC do B).

Os problemas internos no partido se acentuaram em julho, quando o diretório estadual, com uma liminar, assumiu o diretório de Pouso Alegre e anunciou Rafael Simões a prefeito. Posteriormente, os dirigentes afastados conseguiram retomar as funções e lançaram Chico Rafael.

Em seguida a direção nacional do partido considerou essa convenção nula e o diretório estadual retificou o nome de Rafael Simões. Com dois na disputa, o Ministério Público denunciou a situação e conseguiu proibir a campanha do partido.

Divergência. O diretório estadual alega que Rafael Simões foi convidado no ano passado a se filiar ao PSDB visando sair candidato e que os dirigentes municipais foram informados. Já o diretório local argumenta que a candidatura de Chico Rafael, o seu indicado, seguiu todas as normas.

Diante do impasse a decisão final ficará por conta da Justiça Eleitoral, que definirá quem será o candidato tucano até o dia 12 de setembro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.