PSDB deve oficializar apoio à candidatura Kassab nesta 3ª feira

Apoio para a reeleição de Kassab na Capital é considerado fundamental pelos líderes tucanos para 2010

Elizabeth Lopes, da Agência Estado

06 de outubro de 2008 | 19h47

As lideranças do PSDB devem oficializar nesta terça-feira, 7,  o apoio à candidatura de  Gilberto Kassab (DEM) à sucessão municipal na Capital. Uma dessas lideranças tucanas afirmou à Agência Estado que a orientação da direção nacional do PSDB é muito clara com relação aos partidários não apoiarem os adversários do PT no segundo turno dessas eleições. "A recomendação é de não deixar o PT ganhar. Por isso, o caminho natural é apoiar o DEM de Gilberto Kassab", destacou.   Veja Também: Confira o resultado eleitoral nas capitais do País As principais promessas dos candidatos Enquete: O resultado das eleições surpreendeu?   Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  Galeria de fotos dos candidatos à Prefeitura   Vereador digital: Depoimentos e perfis de candidatos em São Paulo   Tire suas dúvidas sobre as eleições   O anúncio deverá ser feito no início da tarde desta terça-feira, depois que o diretório municipal tucano, que se reúne hoje à noite, e o diretório estadual da legenda, que se reúne amanhã pela manhã, discutirem o assunto e definirem a estratégia de apoio do PSDB nas eleições em São Paulo. Alguns caciques da legenda foram convidados para este anúncio, dentre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O presidente nacional da legenda, senador Sérgio Guerra, também foi convidado. Além deles, todas as principais lideranças tucanas no Estado também deverão estar presentes.   O apoio para a reeleição de Kassab na Capital é considerado fundamental pelos líderes tucanos para o projeto da legenda nas eleições presidenciais de 2010. O PSDB também avalia que a união de todo o partido, sobretudo dos governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas Gerais, Aécio Neves, potenciais candidatos ao Palácio do Planalto nas próximas eleições gerais, é a premissa básica para o partido chegar cacifado em um pleito que apesar de não contar ainda com um sucessor natural do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, promete ser muito acirrado.   Um tucano com bom trânsito nas chamadas alas kassabistas e alckmistas da legenda em São Paulo disse à Agência Estado que o ex-governador Geraldo Alckmin, candidato da legenda derrotado na corrida à Prefeitura de São Paulo, deverá ter um papel importante neste segundo turno na Capital.    "Ele deverá ficar longe dos palanques, mas deverá trabalhar para cicatrizar as feridas e unir as bases do partido", destaca a fonte. E reitera: "A afirmação feita ontem à noite por Alckmin (logo após o anúncio do resultado que confirmou Kassab e a petista Marta Suplicy no segundo turno) de que ele é um homem de partido e irá acatar a recomendação de sua legenda para o segundo turno dessas eleições, foi uma clara sinalização que ele irá continuar atuando como um líder de nossa legenda."

Tudo o que sabemos sobre:
DEMPSDBsegundo turnoeleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.