Nilson Bastian/Câmara dos Deputados
Nilson Bastian/Câmara dos Deputados

PSC ameaça candidatura avulsa ao Senado após tensão com PSDB

Terceiro deputado federal mais votado em 2014, Irmão Lázaro responde a tucanos que consideram sua candidatura ruim para o partido

Yuri Silva, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 15h20

SALVADOR - O pré-candidato ao Senado Irmão Lázaro (PSC), terceiro deputado federal baiano mais votado nas eleições de 2014, ameaçou lançar candidatura avulsa para senador caso o pré-candidato ao governo da Bahia José Ronaldo (DEM) não o contemple na chapa oposicionista.

+ PT, DEM e MDB começam a definir chapas para eleições majoritárias na Bahia

A ameaça foi uma resposta ao PSDB, após a legenda se colocar, nos bastidores, como um obstáculo à escolha de Lázaro para a aliança eleitoral liderada pelo DEM e apoiada pelo tucanato baiano. “Se eu não for escolhido, o PSC lançará candidatura avulsa ao Senado. Mas tenho certeza que tudo será resolvido e marcharei ao lado de José Ronaldo em outubro”, disse o deputado ao Estado.

Eleito com 161 mil votos na última eleição, Lázaro é visto pela cúpula do PSDB como um empecilho para a eleição do deputado federal Jutahy Magalhães Jr. para o Senado. Atualmente, Jutahy é único nome confirmado oficialmente na chapa encabeçada por José Ronaldo. Contudo, teme que a força eleitoral do parlamentar - evangélico - supere sua votação, relatam aliados.

+ Rui Costa enfrentará na Bahia temas espinhosos na campanha

A tensão entre PSDB e PSC na Bahia, intensificada após o deputado tucano tratar sobre o assunto publicamente durante um evento em Valença, no interior da Bahia, alarmou lideranças oposicionistas. José Ronaldo e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), seu principal articulador político, precisaram atuar para apagar o princípio de incêndio.

Nos últimos dias, dizem interlocutores de Lázaro, ambos conversaram com ele, sinalizando o desejo de que o deputado dispute a eleição como candidato a senador na chapa.

+ 'Chapa estadual baiana não vai passar pela nacional', diz Jaques Wagner

Jutahy, entretanto, diz desejar na composição alguém que o fortaleça. “Acho que temos de ter uma mulher na chapa e outro candidato que me ajude na missão de ser senador”, afirmou, referindo-se às pré-candidaturas da vereadora de Salvador Ireuda Santos (PRB) e da ex-secretária municipal de Política para Mulheres, Infância e Juventude Taíssa Gama (PTB), que disputam espaço na aliança.

Ireuda é ligada ao espólio eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus e Taíssa é filha do deputado federal e presidente do PTB na Bahia, Benito Gama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.