PSB usa programas de rádio para divulgar pernambucano

Pela estratégia do partido, Campos dará entrevistas a programas populares para sair do anonimato e avançar nas pesquisas

Erich Decat / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2013 | 02h10

Desconhecido da maioria do eleitorado do Brasil, o presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, possível candidato à Presidência, vai recorrer aos principais programas de rádio do País para tentar sair do anonimato. A estratégia de Campos, segundo o Broadcast Político apurou, será conceder uma entrevista por semana a programas líderes de audiência.

Ainda não há data definida para os bate-papos, mas eles devem se iniciar nas próximas semanas. No mapa do PSB, os Estados de São Paulo e Minas Gerais são prioridade e devem ser os primeiros em que se colocará em prática a estratégia de comunicação. As duas regiões representam 32,8% dos 140 milhões de eleitores do País, segundo a Justiça Eleitoral.

Telefone. Se por um lado a ordem é aumentar a exposição de Campos, por outro é economizar em recursos. Por isso, as entrevistas deverão ser feitas por telefone. Na agenda também estão previstas conversas com âncoras de programas populares da Bahia e do Rio Grande do Sul.

Em outra linha de ação para tornar Campos conhecido, o PSB o colocará nas inserções estaduais. Na maior parte dos comerciais da legenda a participação dele deve tomar entre 40% e 50% do tempo da propaganda. Há casos como o do Paraná, entretanto, em que Campos participará de toda a inserção. O governador também será o protagonista do programa partidário de dez minutos previsto para ir ao ar em cadeia nacional de rádio e TV no dia 10.

A estratégia ocorre a seis meses da data prevista para o partido oficializar a candidatura própria à Presidência. Segundo integrantes da cúpula do PSB, esse anúncio deve ser feito em março. A iniciativa também ocorre em meio ao desembarque do partido do governo Dilma Rousseff (PT). Campos aparece hoje nas pesquisas com 4% das intenções de votos, atrás de Dilma Rousseff, da ex-senadora Marina Silva (sem partido) e do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2014Eduardo CamposPSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.