PSB e Rede vão ignorar currículo de aliados incômodos

Objetivo é evitar problemas nos Estados onde o PSB filiou políticos de centro-direita, como em Santa Catarina

João Domingos / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2013 | 02h13

Para evitar problemas nos Estados em que o PSB filiou políticos de centro-direita, como o grupo do ex-senador Jorge Bornhausen (ex-DEM e ex-PSD), em Santa Catarina, e do ex-senador Heráclito Fortes (ex-DEM), no Piauí, a Rede Sustentabilidade, da ex-ministra Marina Silva, se comprometeu a não cobrar publicamente que integrantes do novo partido aliado revelem seu histórico político. Do mesmo modo, o PSB não vai exigir o currículo de nenhum dos participantes da Rede.

"O PSB é que decide quem integra o partido. Nós respeitamos isso porque não é um problema nosso. E o PSB respeitará os nossos militantes", disse o coordenador de organização da Rede, Pedro Ivo, após reunião com o primeiro-secretário do PSB, Carlos Siqueira. Foi o encontro inicial dos dirigentes da Rede e do PSB para tratar das questões estaduais.

De acordo com os dirigentes, será feita uma radiografia da situação dos dois partidos nos 26 Estados e no Distrito Federal. No sábado, Marina Silva anunciou a entrada no PSB, dois dias depois de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter rejeitado o registro de criação da Rede. Pelo acordo com o PSB, a Rede continuará funcionando como partido, com estatuto próprio. Para a eleição presidencial do ano que vem, será feito um programa conjunto.

O coordenador será o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, conforme adiantou anteontem o Estado. Coelho deixou o governo da presidente Dilma Rousseff há oito dias. Ele ocupava a pasta de Integração Nacional.

No encontro de ontem, Siqueira convidou a Rede a participar informalmente da direção do PSB. O convite será submetido aos integrantes da Executiva da Rede, que fará uma reunião hoje, em Brasília, para deliberar sobre o assunto.

Empresariado. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, provável candidato à Presidência da República, ligou ontem para Marina para convidá-la a participar de uma reunião com empresários amanhã, em São Paulo. A ideia é estreitar relação com a ex-senadora, que deve ser vice na chapa. Na terça-feira, os dois devem ter um novo encontro. Marina aproveitará um compromisso marcado em Pernambuco para se encontrar mais uma vez com Campos.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2014PSBRedeCamposMarina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.