Protestos bloqueiam estradas

Motoristas têm problemas em rodovias de São Paulo, Rio, Minas e Rio Grande do Sul

Felipe Werneck, Clarissa Thomé, Marília Assunção, Ernesto Batista, José Maria Tomazela, Elder Ogliari, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2013 | 02h00

Manifestantes bloquearam ontem trechos de rodovias que passam por quatro Estados: São Paulo, Rio, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Na Via Dutra, os protestos ocorreram no Rio e em São Paulo. O bloqueio mais longo começou às 17h30, em Nova Iguaçu, na pista sentido Rio - o tráfego só foi normalizado às 22h. Manifestantes também fecharam as pistas expressa e marginal sentido Rio no km 152 e sentido São Paulo no km 146 (São José dos Campos), além da expressa no sentido Rio no km 176 (Jacareí).

Na Raposo Tavares, manifestantes impediram a passagem dos carros por uma hora, nos dois sentidos, no km 43. Também houve bloqueios na Castelo Branco, nos dois sentidos, no km 32; e na Anhanguera, sentido interior, no km 55.

A Fernão Dias foi bloqueada no km 502, em Betim (MG), nos dois sentidos. Às 20h30, havia cerca de 18 km de congestionamento no sentido São Paulo e 14 km no sentido Belo Horizonte.

No Rio Grande do Sul, a BR-116 foi fechada por duas horas, na altura de Estância Velha, Região Metropolitana de Porto Alegre. A BR-386, em Nova Santa Rita, também ficou bloqueada por uma hora.

Niterói. Ontem, em Niterói, uma passeata acabou em mais um confronto. Com bombas de efeito moral e balas de borracha, a PM impediu que homens mascarados chegassem à Ponte Rio-Niterói.

No Rio, mil moradores da Rocinha e do Vidigal desceram os morros e, com a faixa "Saneamento Sim; Teleférico Não", caminharam seis quilômetros até a casa do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB). "De que adiantam teleférico e escada rolante para turistas se a gente ainda tem ruas com esgoto a céu aberto?", disse a estudante de Administração da PUC Érica Santos, de 21 anos, uma das organizadoras do protesto.

Pela terceira vez houve confronto entre manifestantes e policiais em São Luís (MA). No total, foram feitas 28 prisões e 29 pessoas ficaram feridas.

Ontem, em Unaí (MG), o motorista suspeito de atropelar e matar duas manifestantes em Cristalina (GO), anteontem, se apresentou e deve ser interrogado hoje. Carlos Baromeu Dias foi liberado porque não houve flagrante e por ter residência fixa.

Mais conteúdo sobre:
protesto protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.