Proposta de Ayres Britto de antecipar sustentação é vetada

Presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, fracassou ontem na tentativa de tornar mais rápida a exposição oral dos advogados dos 38 réu. Como as cinco defesas programadas não utilizaram todo o tempo previsto, ele propôs que fosse ouvido um sexto advogado, que defende o ex-deputado federal Paulo Rocha (PT-PA). A proposta foi rejeitada por ministros e pelo advogado João Gomes. Uma ala da Corte quer tentar tornar mais ágil o julgamento para tentar garantir que o ministro Cezar Peluso participe da votação. Peluso terá de se aposentar compulsoriamente no início de setembro, quando completará 70 anos. Antes dele, o relator da ação, Joaquim Barbosa, precisa ler o voto, que tem aproximadamente mil páginas. A expectativa é a de que a leitura comece amanhã. O revisor Ricardo Lewandowski será o segundo a votar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.