Promotor confia que Marco Aurélio pode rever liminar

O promotor de Justiça Márcio Frigg, do Grupo de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), é taxativo: "Em que pese a frustração pelo adiamento (do júri), acredito que, com as informações judiciais e o maior detalhamento do processo, o ministro relator (Marco Aurélio) poderá rever sua liminar anteriormente concedida ou, ao menos, colocar em pauta mais rapidamente o habeas corpus para que a injustiça não se prolongue no tempo".

O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h04

A demanda foi parar no Supremo Tribunal Federal porque a ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça, rejeitou liminar da defesa. O criminalista Roberto Podval, defensor de Sérgio Gomes, alegou "constrangimento ilegal"para brecar o processo no Supremo Tribunal Federal.

"A jurisprudência é pacífica: os advogados podem fazer perguntas aos outros réus." Ele observa que existem vários habeas corpus para serem julgados no caso, "logo não tem muito sentido fazer o júri antes". "Vamos imaginar que o júri seja realizado agora. Poderá ser anulado lá na frente porque essas questões não foram concluídas." / F. M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.