Programa foi refém de mais do mesmo

Se existisse de fato, e não apenas nas linhas de Dias Gomes, o personagem Odorico Paraguaçu, prefeito da fictícia Sucupira, teria invejado com louvor um termo citado mais de uma vez por Fernando Haddad no debate de ontem. Anote lá, Odorico: a palavra é "pedagiar". Por que perder a chance de associar o adversário a um termo que causa calafrios no eleitor de São Paulo e não dizer simplesmente "pedágio"? Ainda que tenha avançado um bocado na arte de falar à massa, do primeiro debate até aqui, o candidato petista ainda tropeça em vocábulos que causam estranheza aos ouvidos. O problema, ontem, ficou só nesse verbo, felizmente citado apenas no infinitivo, e convém abster-se de conjugá-lo.

O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2012 | 03h05

Haddad também gaguejou mais que o adversário, mas em doses bem mais homeopáticas do que no confronto da Band, promovido na semana passada. Foi preciso, no entanto, e altamente seguro, ao se defender da primeira tentativa que José Serra fez de associá-lo ao escândalo do mensalão. "Seu desrespeito chega às raias da insanidade. Tenho 12 anos de conduta ilibada. Alto lá", encerrou o petista.

Serra esmerou-se no mantra "não respondeu à pergunta". Martelou termos que já havia treinado na Band. Voltou a falar em PT, Zé Dirceu, mensalão e Martaxa. Reprisou mais: usou pela quarta vez nesta campanha a mesma gravata em um debate de TV - duas no primeiro turno, duas nesta segunda etapa. No Twitter, houve quem sugerisse que se trataria de uma peça de sorte do candidato. Faz sentido?

Novamente, não se viu interferência do mediador ou de jornalistas. Nada de perguntas vindas de fora. Os internautas tiveram, no máximo, a chance de escolher os temas a serem discutidos, nada de formular questões diretas.

Sem função que não fosse determinar quem perguntava a quem e quantos minutos cabia a cada um, o mediador Carlos Nascimento poderia ter cedido a vez a Silvio Santos, sugeriu alguém no Twitter: "O Silvio Santos vai mediar? Se for o mediador, as perguntas serão escolhidas na roleta ou nas cartas?", postou o perfil @FrancisOEgoista.

Com cenário simples e arte enxuta para determinar as normas de cada bloco, o programa rendeu 5 pontos de média no Ibope - a mesma alcançada na semana passada pela Band - na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a 60 mil domicílios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.