Programa eleitoral começa na TV com biografias e propostas

Russomanno vai priorizar saúde na estreia, e Doria se apresentará ao eleitor; Erundina usará seus 10 segundos para protestar

Valmar Hupsel Filho e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2016 | 05h00

Os principais candidatos à Prefeitura de São Paulo usarão o primeiro dia do horário eleitoral na TV, que começa nesta sexta-feira, 26, para apresentar suas biografias, “legados” e as propostas que serão os carros-chefe da campanha. 

Líder nas pesquisas, o deputado federal Celso Russomanno (PRB) disse que a saúde será o tema do primeiro programa. O candidato vai apresentar a proposta de criar um cartão inteligente com chip, que será sua maior “bandeira” para a área.

A ideia é de que a Prefeitura forneça os cartões para todos os pacientes da rede pública, nos quais constariam todas as informações médicas do paciente. “Quero que cada cidadão de São Paulo tenha o prontuário na sua mão”, afirmou.

‘Estagiário’. Dono do maior tempo de TV entre os candidatos, João Doria (PSDB) se apresentará como “o estagiário de rádio e TV que acabou se tornando um dos mais respeitados e bem-sucedidos empresários do País”. 

Com um formato inspirado na campanha do presidente argentino Mauricio Macri, que também é empresário, Doria dirá que licenciou-se de suas empresas “para percorrer São Paulo”. Padrinho político do tucano, o governador Geraldo Alckmin não irá aparecer no programa de estreia, que fará apenas menção ao ex-governador André Franco Montoro. 

Em tom sentimental, o programa de estreia contará que o pai de Doria foi deputado e teve seu mandato cassado pelo golpe militar de 1964. A única referência que faz aos adversários é uma indireta à administração do prefeito Fernando Haddad (PT). “Ciclovia é bom, mas ciclovia mal feita é ruim.” 

‘Conceitual’. Com apenas dez segundos, a deputada federal Luiza Erundina (PSOL) usará seu tempo com um programa “conceitual”, segundo seu marqueteiro, Pedro Altman. “Não há como detalhar propostas”, afirmou ele. 

A estreia de Erundina na TV será marcada por um protesto “contra a censura” pela ausência dela dos debates. 

A senadora Marta Suplicy (PMDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) não quiseram revelar suas estratégias para o primeiro dia de programa eleitoral na televisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.