Programa de Kassab chama Marta de 'prefeita das obras paradas'

'Marta ficou só na conversa, não saiu nada, diz usuária em propaganda do atual prefeito na TV nesta sexta

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado

17 de outubro de 2008 | 14h36

A campanha do prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), acusou a adversária Marta Suplicy (PT) de ser "a prefeita das obras paradas", durante o horário eleitoral na televisão desta sexta-feira . Segundo um locutor, se fossem colocadas em linha reta, as obras não finalizadas pela petista, como viadutos e avenidas, por exemplo, se chegaria à extensão de 37 km.   Veja Também:   Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  'Eu prometo' traz as promessas de Marta e Kassab  Geografia do voto: Desempenho dos partidos nas cidades brasileiras  Confira o resultado eleitoral nas capitais do País   O programa do democrata começou com um locutor perguntando "Você lembra como Marta deixou a cidade?", em referência ao período em que a petista esteve à frente da Prefeitura. Em seguida, mostrou as obras interrompidas e, depois, concluídas na gestão atual. "Eu prometi (a conclusão das obras) e o prefeito Kassab está cumprindo esse compromisso", disse o governador José Serra (PSDB), sobre o período em que passou a Prefeitura ao democrata.   Em seguida, foram ao ar depoimentos de populares falando sobre obras não finalizadas pela petista e concluídas na gestão posterior. "Marta ficou só na conversa, não saiu nada. Ela foi a prefeita das obras paradas", acusou a usuária de um hospital inaugurado pelo prefeito. "Marta veio e só deixou as placas", afirmou o morador de conjunto habitacional construído na administração atual.   A candidata do PT, Marta Suplicy, começou seu programa citando a queda no desemprego durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, e acusou: "A Prefeitura não tem feito quase nada para treinar a mão de obra." Ela prometeu ampliar o alcance de programas de capacitação profissional interrompidos ou reduzidos na atual gestão, como o Começar De Novo, voltado para a terceira idade.   Além disso, se comprometeu a diminuir a carga tributária para pequenos e médios empresários, e incentivar o trabalho autônomo, aproveitando para reiterar sua promessa de isentar a categoria do pagamento do Imposto Sobre Serviço (ISS). Seu programa acusou Kassab de aumentar a cobrança do imposto e elevar impostos municipais, advertindo o eleitor ainda sobre o pedágio urbano.   Marta trouxe também depoimento de apoio do candidato a vice por sua chapa, Aldo Rebelo (PCdoB), que é nordestino, recomendando que o eleitor da Capital paulista "não deixe renascer as força do atraso que o Nordeste expulsou", referindo-se a partidários de Kassab. Em seguida, Marta destacou as legendas que a apóiam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.