Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Professores contestam principal bandeira de campanha de Chalita

Categoria refuta projeto do candidato que quer implantar ensino em tempo integral

Ricardo Chapola, do estadão.com.br,

11 Junho 2012 | 15h09

Professores da rede de municipal contestaram nesta segunda-feira, 11, a proposta de implantação do ensino em tempo integral nas escolas, uma das principais bandeiras do pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, o deputado federal Gabriel Chalita. Em encontro com o sindicato, Chalita foi cobrado pela falta de tempo que o professor tem para se qualificar, já que a categoria não possui sequer o direito à licença para realizar cursos de especialização.

Após palestrar por cerca de meia hora, Chalita sinalizou que adequará os projetos conforme as demandas apresentadas  durante o encontro pelos professores. "A alma do processo é o professor. Se você não tiver um bom professor, mesmo que a escola seja maravilhosa, o aluno não vai entender. Para ter uma política séria, é preciso valorizar o professor", disse ao prometer que, se eleito prefeito, dará o direito à especialização aos profissionais. "Nem a escola em tempo integral, que é o meu projeto, vai ser boa se você não tiver qualidade", admitiu.

O deputado foi secretário de Educação de São Paulo na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) e se vale também do fato de ser professor para estreitar suas relações com a categoria. "Aqui os programas de capacitação são muito tímidos. Com o dinheiro que tem a prefeitura, dá para ter um projeto de formação continuada", criticou.

Mais conteúdo sobre:
eleições 2012 Gabriel Chalita PMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.