Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Procuram-se mulheres, índios, negros e jovens

Pela primeira vez desde que foi instituído há dez anos, o PED (Processo de Eleições Diretas) do PT conta com uma cláusula que exige das chapas estaduais, municipais e nacionais cotas mínimas de mulheres (50%), etnias (20%) e jovens com menos de 30 anos (20%). O diretório nacional do PT conta com 82 membros. Nos estaduais e municipais esse número varia. A distribuição será feita com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A ideia era enviar uma mensagem positiva para opinião pública, já que a paridade é uma bandeira do PT na reforma política. Mas as correntes estão tendo mais dificuldades para preencher suas chapas.

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2013 | 02h10

 

"Temos muitas mulheres, mas em pequenos municípios de Santa Catarina, por exemplo, estamos com dificuldades para fechar a cota de negros", afirma um dirigente da corrente Construindo um Novo Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.