Procuradoria investiga morte de índio em aldeia

Procuradores pedem à PF dados sobre conflito do dia 7 na aldeia Teles Pires, que terminou com feridos e uma vítima fatal

FÁTIMA LESSA / CUIABÁ , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h06

O Ministério Público Federal (MPF) de Mato Grosso e do Pará abriu investigação sobre o conflito ocorrido no dia 7 entre policiais federais e índios mundurucus da aldeia Teles Pires, entre o Pará e Mato Grosso - que terminou com um índio morto e oito pessoas feridas (dois policiais e seis indígenas). O conflito aconteceu no segundo dia da Operação Eldorado, com a qual a Polícia Federal combateu a extração ilegal de ouro na região. Depois do conflito a ação foi suspensa.

Em ofício encaminhado à PF, os procuradores Márcia Brandão Zollinger e Felipe Bogado solicitaram informações - por exemplo, se foi feita necrópsia para apurar a causa da morte do índio e se houve a identificação e exame pericial na arma que teria efetuado o disparo. Os dois requereram da PF cópia dos áudios e vídeos gravados durante a ação policial e, também, que seja apresentada a relação de todos os participantes da operação - da PF, da Força Nacional de Segurança, do Ibama, da Fundação Nacional do Índio (Funai) ou de quaisquer outros órgãos que tenham atuado no episódio.

Os procuradores decidiram abrir investigação depois de receberem uma representação assinada por 116 organizações e entidades da sociedade civil. Zollinger e Bogado disseram que neste primeiro momento será realizada a "oitiva dos agentes públicos que participaram da organização logística da operação e dos que executaram a atividade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.