Procurador pede investigação sobre honorário de Bastos

O procurador da República Manoel Pastana, lotado em Porto Alegre, pediu ao Ministério Público Federal de Goiás que investigue a origem dos recursos que Carlinhos Cachoeira usará para pagar seu advogado, Márcio Thomaz Bastos. Para Bastos, a iniciativa de Pastana é "um retrocesso autoritário incompatível com a história democrática do MP". Ele afirma que o procurador "confunde o réu e o advogado responsável por sua defesa". Segundo ele, os honorários seguem as diretrizes preconizadas pelo Código de Ética da Advocacia e por outras leis do País. / ELDER OGLIARI

O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2012 | 03h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.