Procurador-geral pede apuração do caso na 1ª instância

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhou à 1ª instância do órgão, no caso a Procuradoria do MPF no Distrito Federal, a investigação das denúncias de que o ministro Fernando Bezerra supostamente favoreceu Pernambuco na liberação de recursos para combate a enchentes e privilegiou seu filho nas emendas parlamentares.

O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 03h05

No encaminhamento ao MP do DF, Gurgel indica que a investigação, se aberta, só envolverá a suspeita de improbidade administrativa. Ele entende não haver, no relato do DEM, indícios de crimes a serem apurados pela PGR.

Na sua representação, o DEM pediu que Bezerra seja investigado por favorecer Pernambuco, por beneficiar o filho, deputado Fernando Coelho (PSB-PE), nas emendas de 2011 e por manter o irmão, Clementino Coelho, na presidência da Codevasf durante quase um ano. Embora o ministro goze de foro privilegiado - e portanto só possa ser investigado pelos escalões superiores da Justiça, quando há suspeita de improbidade administrativa a tarefa cabe ao Ministério Público de 1ª instância. / FELIPE RECONDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.