Procurador do Rio analisa dados sobre as viagens de Cabral

O procurador-geral de Justiça do Rio, Cláudio Lopes, pediu oficialmente ao governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) informações sobre suas viagens ao exterior. O governo informou, ontem à noite, que os dados foram enviados. O requerimento, feito na última terça-feira, foi motivado pelo noticiário sobre o assunto. As respostas serão analisadas pela assessoria da chefia institucional do Ministério Público Estadual (MPE).

WILSON TOSTA / RIO, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2012 | 03h06

Há mais de duas semanas, foram divulgados fotos e vídeos em que o governador aparece em viagens com o amigo e empresário Fernando Cavendish, agora controlador afastado da Delta Construções, empreiteira sob investigação da CPI do Cachoeira. Nas imagens, Sérgio Cabral e Fernando Cavendish são vistos em momentos de descontração.

Na última segunda-feira, o Estado protocolou na Secretaria da Casa Civil do Rio um requerimento de informações com 14 perguntas sobre as viagens internacionais do governador, com base na Constituição e na legislação de acesso à informação.

A secretaria informou que o documento está com o secretário da Casa Civil, Régis Fichtner. Anteontem, porém, o governo estadual divulgou alguns dados sobre as incursões do governador por outros países.

Diárias. Os gastos do governo Cabral com diárias pagas a pessoal civil e militar por viagens internacionais chegaram em 2011 a seu valor máximo, R$ 4,9 milhões - 74,34% acima da média dos quatro anos da primeira gestão do peemedebista, que foi R$ 2,8 milhões.

Os pagamentos a Cabral subiram mais: os R$ 49 mil que recebeu em diárias por suas visitas a outros países no primeiro ano do segundo mandato foram 122,43% além da média anual do que ganhou pelo mesmo motivo de 2007 a 2010 - R$ 22 mil. Ao todo, os gastos do Estado com diárias de viagem somaram R$ 17,6 milhões desde a primeira posse do governador, em 1.º de janeiro de 2007. Os números, porém, ainda poderão subir, porque os dados do Portal da Fazenda referentes a 2012 ainda estão incompletos.

Viagens. Desde que foi empossado em seu primeiro mandato no cargo, Cabral fez 37 viagens ao exterior praticamente uma a cada dois meses. Em nota, o governo do Rio disse que as viagens tinham como objetivo atrair negócios, eventos e turistas para o Rio. O governo também afirmou que a prática é "fazer com que os servidores busquem experiências, aprendizado e formação em outros países".

O valor pago pelas diárias, de acordo com o texto, destina-se a cobrir despesas com hospedagem, transporte e alimentação em cada viagem.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraSergio Cabral

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.