ED FERREIRA/ESTADAO
ED FERREIRA/ESTADAO

Prisão de Beto Richa pauta campanha ao governo do Paraná

Os principais postulantes ao Palácio Iguaçu têm acusado rivais de ligação com o ex-governador e tentado se descolar da imagem do tucano

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2018 | 18h17

CURITIBA - A prisão do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), candidato ao Senado nas eleições 2018, e as investigações do Ministério Público do Estado (MP-PR) sobre suspeitas de desvios comandados por ele durante sua gestão estão pautando as campanhas dos postulantes ao governo paranaense, que têm trocado acusações sobre ligações com o tucano e negado envolvimento com ele e os casos investigados pela Promotoria.

Durante sabatinas realizadas com os candidatos ao Palácio Iguaçu nesta terça-feira, 18, pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Ratinho Junior (PSD) foi o principal alvo dos adversários. João Arruda (MDB), que já vem utilizando em seu programa eleitoral um vídeo em que Ratinho Junior aparece discursando a favor de Richa, afirmou na sabatina que o rival é apoiado pelo tucano. "Existe um acordo branco do Beto Richa com o Ratinho Junior", declarou Arruda. 

O PSDB integra a chapa encabeçada pela governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti, (PP), que era vice de Richa antes de assumir o cargo, em abril, e pediu a retirada da postulação do tucano da chapa dela nesta segunda. Depois da sabatina da Fiep, Cida afirmou que não considera seu posicionamento como uma "traição" e que não se sente constrangida por tomar a decisão contra seu antecessor. "Minha posição já está colocada", declarou.

Na segunda, a coligação de Arruda entrou com um pedido de inquérito contra a rede de rádios Massa FM, que pertence à família de Ratinho Junior. Arruda alega que a empresa está "sabotando" as inserções eleitorais de sua campanha. Segundo a coligação do emedebista, nos dias 9 e 10 de setembro, as rádios da família de Ratinho Junior não veicularam nenhuma das cinco inserções enviadas pela campanha de Arruda, que, na sabatina desta terça, acusou o rival de fazer campanha "de baixo nível". 

Cida também tem atacado Ratinho Junior, ressaltando que a maior parte dos secretários da primeira gestão de Richa, quando teriam ocorrido os desvios atribuídos ao ex-governador, e deputados do PSDB estão apoiando a candidatura de Ratinho Junior. 

O candidato do PSD, por sua vez, tem tentado se defender e partiu para o contra-ataque. Na semana passada, a coligação dele entrou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra Cida e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), acusando-os de divulgar reportagens e imagens a favor de ambos na página da prefeitura da capital paranaense. 

Sobre a situação de Richa, de quem foi secretário, Ratinho Junior se limitou a dizer que "todos têm direito de defesa, mas, se fez bobagem e a Justiça julgou, que vá para a cadeia". "Quem está sendo investigado que tem que dar satisfação à sociedade. Eu não tenho investigação nenhuma".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.