Prioridade do PSD é Afif, afirma petista

Mesmo com o anúncio de que o PT está no radar de alianças do PSD, o presidente do diretório municipal petista na capital paulista, vereador Antonio Donato, disse que o partido só vai se pronunciar sobre uma eventual proposta do prefeito Gilberto Kassab quando for procurado oficialmente por ele. "Nós não vamos procurá-lo. Se ele (Kassab) nos procurar, vamos conversar civilizadamente", afirmou.

O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2012 | 03h09

Segundo Donato, o PT manterá a resolução do Conselho Político do pré-candidato Fernando Haddad, que no sábado passado decidiu que priorizar neste momento as negociações com os cinco partidos da base aliada do governo Dilma Rousseff (PSB, PDT, PCdoB, PR e PMDB).

Até segunda ordem, não haverá mudança de estratégia. "Vamos continuar cuidando das nossas alianças", disse Donato.

Na opinião do dirigente petista, a formalização da oferta de aliança com o PT por parte do prefeito de São Paulo ainda é remota, uma vez que o apoio do PSD a Haddad é encarado publicamente por Kassab como uma alternativa caso a candidatura do vice-governador Guilherme Afif Domingos não se sustente até o início da campanha eleitoral deste ano. "O Kassab trata a gente como alternativa e não como prioridade", afirmou.

Desde o início da atual gestão de Kassab, em 2009, o PT tem se posicionado contra o prefeito em temas relevantes na Câmara. Porém, Kassab possui vasos comunicantes com petistas da cúpula do partido no Estado.

No sábado passado, por exemplo, segundo informou ontem o portal iG, parte do conteúdo das discussões da reunião do Conselho Político de Haddad foi transmitida quase imediatamente ao prefeito de São Paulo por participantes do encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.