Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Primeiro evento da campanha de Aécio será em fazenda isolada no interior de MG

Apoiadores do senador se reunirão com ele no sábado, em fazenda na região Teófilo Otoni, a 446 quilômetros de Belo Horizonte

Jonathas Cotrim e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2018 | 18h10

BELO HORIZONTE – Em seu primeiro evento de campanha nas eleições 2018  na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados por Minas, o senador Aécio Neves (PSDB) participará de um encontro com apoiadores em uma fazenda próxima à cidade mineira de Teófilo Otoni, na região do Jequitinhonha, a 446 quilômetros de Belo Horizonte, no sábado, 25, a partir das 9 horas.

A cidade é terra natal do pai de Aécio, Aécio Cunha, que tinha como base eleitoral a região do Jequitinhonha e do Mucuri. O evento será restrito a convidados.

O senador até agora não esteve em nenhum ato político em Belo Horizonte e também não subiu nos palanques do senador Antonio Anastasia  (PSDB-MG), que disputa o governo estadual, e do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que está em campanha pelo Palácio do Planalto.   

Para chegar ao local do encontro, promovido por um ex-prefeito de Teófilo Otoni, é preciso percorrer 2 quilômetros por uma estrada de terra.

A assessoria de imprensa de Aécio informou, por meio de nota, que o evento não será uma agenda pública nem um compromisso de campanha. “Trata-se de encontro em residência particular, para convidados do organizador."

O convite do encontro contém orientações para chegar na Fazenda Téo Barbosa, local da reunião. "A fazenda fica a 5km de Teófilo Otoni, em frente ao motel Dallas, na BR-116 (depois do Posto Teófilo Otoni). Depois de chegar na entrada, basta seguir por 2km em estrada de terra até a fazenda", diz o texto acima de uma foto de Aécio e seu número de candidato.

Na primeira semana do período de campanha eleitoral, Aécio não promoveu nenhuma agenda pública de campanha e tem  feito pequenos encontros com prefeitos em seu comitê.

Acusado pela Procuradoria-Geral da República de receber ilicitamente R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, oriundos do grupo J&F, e atrapalhar as investigações em torno da Operação Lava Jato, o que o senador nega, Aécio não compareceu nem mesmo à convenção estadual da legenda, organizada em 28 de julho.

Na ocasião, o senador alegou que precisava se reunir com lideranças partidárias para definir os rumos de sua candidatura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.