Presos policiais suspeitos de crime contra jornalistas

Detidos 'para investigação', eles teriam participado da morte de um repórter e um fotógrafo no Vale do Aço, em Minas Gerais

ALINE RESKALLA , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

20 Abril 2013 | 02h06

A Polícia Civil disse ontem ter preso dois policiais suspeitos de envolvimento na morte dos dois jornalistas do Jornal Vale do Aço, de Ipatinga - Rodrigo Neto, no dia 8 de março, e o fotógrafo Walgney Assis Carvalho, no último domingo. A suspeita é que eles tenham sido assassinados por terem denunciado a ação de grupos de extermínio na região.

Os dois suspeitos ficarão detidos em caráter temporário para que possam passar "por novas etapas de investigação". À tarde, o chefe de polícia Cylton Brandão da Matta havia admitido a participação de policiais nos crimes. Depois, anunciou mudanças no comando da polícia de Ipatinga: o chefe de polícia José Valter foi substituído pelo subcorregedor Elder D'Ângelo, e o delegado regional Gilberto Simão deu lugar a Irene Angélica Franco.

Brandão da Mata admitiu, em entrevista, que a polícia tinha sido avisada pelo deputado Durval Ângelo (PT), da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia mineira, de que o fotógrafo Carvalho corria risco de vida. Em seguida, no entanto, disse que, em depoimento, Carvalho avisou que não se sentia ameaçado e nem precisava de proteção.

Enquanto isso, a insegurança continua nos jornais da região. A ex-namorada de Carvalho disse estar recebendo ameaças por telefone. E o Jornal Vale do Aço não conseguiu ainda substituir os dois profissionais que perdeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.