Presidente quer manter ministro da cota de Cid

Dilma conversou com o governador do Ceará sobre intenção de continuar com Leônidas Cristino nos Portos

MARCELO DE MORAES / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2013 | 02h14

A presidente Dilma Rousseff quer manter o ministro Leônidas Cristino no comando da Secretaria dos Portos, pasta que tem status de ministério e que representa a cota do governador do Ceará, Cid Gomes, no primeiro escalão. Com o desembarque do governo federal, o PSB decidiu devolver os dois ministérios que possuía já que apoiará a candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Integração Nacional será repassada ao senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), como revelou o Estado. Mas, se depender da vontade de Dilma, Leônidas Cristino ficará no cargo.

Como seu grupo político, liderado por Cid, decidiu deixar o PSB e manter o apoio à reeleição de Dilma, a presidente não vê motivos para trocar o ministro. Em conversa por telefone, feita depois que retornou dos Estados Unidos, a presidente disse isso a Cid, afirmando que prefere não mexer na pasta.

Na verdade, Cid estava desconfortável com a permanência do ministro por achar que seus adversários podem argumentar que ele só saiu do PSB para não perder cargo no governo federal. A situação incomodou Cid, que chegou a dizer para interlocutores que não estava "atrás de um osso para roer". Apesar disso, Dilma quer prestigiá-lo e usar como exemplo positivo o reconhecimento pelo fato de não ter acompanhado o projeto presidencial do governador Eduardo Campos (PE).

Além de manter Leônidas, Dilma está disposta a nomear o próprio Cid para seu ministério, se reeleita em 2014. Como ficará sem mandato, o governador estará disponível para ocupar uma vaga na equipe de Dilma e ganhar mais destaque com um ministério mais expressivo que a Secretaria dos Portos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.