BRUNO ROCHA/FOTOARENA
BRUNO ROCHA/FOTOARENA

Presidente do PSL nega acordo entre Bolsonaro e Maia para adiantar votação de projetos

Segundo Bebianno, caso vença, Bolsonaro vai anunciar uma equipe de transição composta por 52 pessoas e seguirá para Brasília em algum dia da próxima semana

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2018 | 17h50

RIO - O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, afirmou nesta terça-feira, 23, que não existe acordo entre o candidato do partido à Presidência da República nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, e o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para adiantar a votação de projetos defendidos pelo presidenciável ou apoiar a reeleição de Maia à presidência da Casa.

“Zero conversa. Acredito que o presidente da Câmara não esteja preocupado com aquilo que seja do interesse do candidato Jair Bolsonaro, e sim com o que seja do interesse do Brasil. Vamos esperar o resultado da eleição”, afirmou Bebianno, antes de acompanhar Bolsonaro na gravação dos últimos programas para o horário eleitoral, na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim Botânico (zona sul do Rio).

Segundo Bebianno, caso vença, Bolsonaro vai anunciar uma equipe de transição composta por 52 pessoas e seguirá para Brasília em algum dia da próxima semana. “O dia exato ainda não está definido”.

O presidente do PSL reiterou críticas ao candidato do PT, Fernando Haddad, que chegou a afirmar, com base em afirmação do cantor e compositor Geraldo Azevedo, que o candidato a vice na chapa de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, teria sido torturador. “Haddad está completamente desequilibrado, coitado.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.