Presidente da Agetop nega ter recebido propina

O presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, afirmou ontem que nunca recebeu dinheiro de Carlos Cachoeira nem do ex-vereador Wladimir Garcez. Rincón emitiu nota à imprensa após o Estado revelar gravação da operação Monte Carlo, da PF, na qual Cachoeira relata ao ex-diretor da Delta Cláudio Abreu um "empréstimo" de R$ 600 mil ao presidente da Agetop. "Nunca recebi um centavo do sr. Garcez e muito menos do sr. Cachoeira, que vi duas vezes na minha vida. Como atual presidente sempre fui absolutamente rigoroso com todas as empresas prestadoras de serviço." Rincón desafia os "cidadãos de bem" a apontar atitudes ilegais da diretoria. E acrescenta: "Não permitiremos que conversas de terceiros sem o menor fundamento possam macular o trabalho da Agetop". No dia em que foi deflagrada a Operação Saint-Michel, que prendeu Abreu nesta semana, Rincón foi a Paris. A Agetop afirma que ele se trata de três aneurismas que possui há tempos. / FERNANDO GALLO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.