Prefeitura vai quebrar se Marta ganhar a eleição, ironiza Kassab

Prefeito respondeu à pergunta dela sobre a existência de R$ 4 bi aplicada no mercado e não em investimentos

Andréia Sadi, do estadao.com.br

03 de setembro de 2008 | 14h20

O atual prefeito de São Paulo e candidato do DEM na disputa 2008, Gilberto Kassab, ironizou nesta quarta-feira, 3, o questionamento da candidata Marta Suplicy (PT) sobre a existência de R$4 bilhões aplicados no mercado financeiro e não investidos na cidade. "Minha maior preocupação é quando a ex-prefeita faz essa pergunta,  eu estou achando que ela vai quebrar a prefeitura de novo se ganhar eleição. Alguém precisa dizer para ela. Um orçamento de 22 bilhões de reais precisa ter recurso em caixa para pagar contas, toda semana ela faz essa pergunta",  disse durante sabatina promovida pelo Grupo Estado.   "Desde o começo da campanha ela faz essa pergunta, achei que alguém ja tinha esclarecido isso pra ela. É evidente que tem recurso em caixa, mas eles serão usados para pagar as contas. Senão, vai ter que recorrer a empréstimos", completou.  O vídeo com a sabatina pode ser visto na TV Estadão (clique aqui).     Veja também: Especial: Perfil de Gilberto Kassab  Kassab promete 2009 sem reajuste na tarifa de ônibus 'Jamais' ocuparia cargo na gestão Pitta de novo, diz Kassab Kassab diz que irá ao segundo turno e espera apoio tucano Kassab diz que Serra é seu candidato para 2010 Veja galeria de fotos da sabatina de Kassab  Blog: confira as principais declarações de Alckmin e Marta na sabatina Gráfico: última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro Durante toda a sua participação na sabatina, Kassab bateu forte na sua adversária petista ao fazer comparações entre as gestões. O prefeito avaliou como melhor o transporte na sua gestão, ressaltou a criação de AMAs, disse que fez mais CEUs que a ex-prefeita e criticou ainda o aumento de impostos.   Ao ser questionado sobre os problemas do trânsito que afligem a cidade de São Paulo, Kassab afirmou que "o que o paulistano paga hoje é culpa de quem não fez a lição de casa", referindo-se à gestão anterior.   Se eleito, Kassab afirmou que não aumentará as taxas da cidade de São Paulo, como fez a petista. No entanto, disse que será necessário atualizar a cobrança do IPTU devido à valorização e desvalorização de certas regiões ao longo dos anos. "O IPTU é uma receita boa para pagar professores, valorizar servidores, não é questão de aumento é questão de receita", disse.   O prefeito lembrou a rede CEU criada por Marta, mas disse que fez mais que a ex-prefeita. "Ela fez a rede CEU, mas eu fiz mais CEUs que ela, e até melhores. Eu renegociei médicos, capacitei mais alunos. A minha gestão ampliou e melhorou alguns aspectos positivos da gestão Marta". No  começo da sabatina, ele criticou a falta de hospitais na cidade. "Em 14 anos não foi feito um único hospital na cidade", emendou.   Kassab foi o terceiro a participar da sabatina do Grupo Estado com os candidatos a prefeito de São Paulo, antes Geraldo Alckmin (PSDB) e Marta Suplicy (PT) apresentaram suas propostas. Na quinta-feira, a série entrevista Paulo Maluf (PP), depois Soninha Francine (PPS) na sexta, e Ivan Valente (PSOL), que fechará o ciclo na segunda-feira, dia 8.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.