Facebook/Reprodução
Facebook/Reprodução

Prefeito é eleito com 1 voto de diferença em Quinta do Sol, Paraná

Quem levou a melhor na disputa foi Leonardo Romero, do PSD, que é primo do atual prefeito e assumirá a próxima gestão da cidade

Fernanda Boldrin, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2020 | 11h57
Atualizado 19 de novembro de 2020 | 21h33

O resultado das eleições 2020 na cidade de Quinta do Sol, no Paraná, é o espelho mais fiel da chamada disputa acirrada em uma eleição. Na pequena cidade de pouco mais de 5 mil habitantes, o resultado foi definido por um único voto. Com 1.703 votos, Leonardo Romero (PSD) foi eleito prefeito da cidade. Jilvan Ribeiro (Cidadania), o segundo colocado, teve 1.702 votos. 

“Gratidão pura”, comemorou Romero pelas redes sociais. Ele, que assumirá o Executivo municipal pela primeira vez, é primo do atual prefeito, João Claudio Romero, que está no segundo mandato. 

Ao Estadão, Romero disse que “vitória é vitória”, mas admitiu ter se sentido “chateado” pela estreitíssima margem de votos. “A gente sempre faz por mais.”

Jilvan Ribeiro, que recebeu 1.702 votos, disse que conhece “muita gente” que não foi votar e que poderia ter mudado o resultado. “Melhor não citar, porque senão a pessoa pode ficar com dor na consciência”, afirmou ao Estadão Ribeiro, que não se considera um perdedor. “Perdemos por um voto, porém nos consideramos vencedores, porque enfrentamos a máquina publica, enfrentamos um poder econômico.”

Ele falou com a reportagem da casa dos pais, onde mora – o barulho ao fundo era das galinhas no local. Não é a primeira vez que ele concorre. “Em 2012 tirei 51 votos e em 2016 tirei 68.”

Ribeiro questiona uma visão política que, segundo ele, marca presença nas cidades pequenas, e à qual ele afirma buscar se contrapor. “Numa cidade pequena, que não tem emprego, geralmente as pessoas atribuem sua votação ao assistencialismo”, diz. “Sendo que o dinheiro é público; eles (gestores) não estão fazendo mais do que a obrigação.” 

Segundo dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as receitas de campanha de Romero somaram cerca de R$ 90 mil. As de Ribeiro ficaram no patamar dos R$ 25 mil. Eles realmente dividiram a preferência do eleitorado. No domingo passado, 3.555 foram às urnas para votar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.