Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Prefeito de Porto Alegre recorre ao STF contra impeachment

Nelson Marchezan Junior responde a processo de afastamento envolvendo gastos com publicidade com verbas da saúde; ele nega irregularidades

Lucas Rivas, Especial para o ‘Estadão’, Porto Alegre

26 de outubro de 2020 | 21h05

PORTO ALEGRE - A defesa do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Junior (PSDB), ingressou nesta segunda-feira, 26, com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a tramitação do processo de impeachment movido contra ele na Câmara Municipal. A ação questiona a decisão judicial do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), que autorizou a comissão processante a dar seguimento aos trabalhos, sem ouvir os autores da denúncia.

Candidato à reeleição, Marchezan é acusado de alocar recursos do Fundo Municipal de Saúde em ações de publicidade para promover sua gestão em meio à pandemia. Ainda não há definição quanto ao relator da ação no Supremo. Desde a tramitação do processo de impeachment, o prefeito já obteve sete decisões judiciais favoráveis, que barraram andamento das atividades. As sentenças foram todas revistas pelo TJ.

A Câmara Municipal tem prazo legal até 9 de novembro para julgar o caso, uma semana antes do primeiro turno. São necessários, 24 dos 36 votos para sacramentar o afastamento do prefeito e cassar os direitos políticos dele por oito anos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.