Divulgação
Divulgação

Prefeito de Boa Esperança do Sul, do PT, diz que foi ‘por engano’ a ato de apoio a Aécio Neves

Edinho Raminelli foi flagrado na quarta-feira, 15, em evento da campanha tucana

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2014 | 03h00

O prefeito Edinho Raminelli, do PT de Boa Esperança do Sul, no interior paulista, foi flagrado nesta quarta-feira, 15, participando de um ato político em favor da candidatura à Presidência de Aécio Neves, do PSDB. 

Apesar de ter marcado presença no evento, o prefeito disse ontem que não manifestou apoio ao tucano. “Foi um engano, passei lá apenas para pegar um colega. Sou do PT e estou com Dilma, não sei de onde surgiu essa história de apoio ao Aécio”, declarou.


A presença de Raminelli foi registrada em notícia sobre o evento no site oficial do PSDB. A nota informa que cerca de 500 prefeitos paulistas e outras 3 mil pessoas fizeram na capital um ato com o slogan “Juntos pelo Brasil, Agora é Aécio”. 

A nota destaca a presença de dois prefeitos petistas: além de Raminelli, também consta o nome de Emídio Bernardo do Nascimento Júnior, o Juninho, da cidade de Dobrada.

Ao tentar explicar a situação, Raminelli disse que passou pelo local apenas para pegar o prefeito do município vizinho de Ibaté, com quem iria a uma empresa de informática para tratar de problemas relacionados à internet nas cidades da região. Quando conversou com o Estado, contudo, o prefeito não se lembrava do nome do colega e precisou perguntar a um assessor.

Ibaté é administrada por uma prefeita, Lucieni Spilla Ferrari (PSDB). Procurada nesta quinta-feira, 16, pelo Estado, ela não foi localizada. 

O PT local quer expulsar Raminelli do partido. “Ele pôs assessores para trabalhar na campanha do PSDB no 1.º turno”, acusou a vereadora petista Maria Aparecida Nogueira Romano.

A notícia divulgada pelo PSDB deverá servir para instruir o processo de expulsão que será encaminhado à executiva estadual, segundo ela. “Eu estava desconfiada de que ele iria nessa reunião, pois tanto ele como o vice-prefeito (José Manoel de Souza, do PP) estão ‘assim ó’ com o PSDB.”

Raminelli era vereador pelo PSDB na gestão passada e deixou o ninho tucano para se filiar ao PT. Tal atitude lhe custou caro: acabou perdendo o mandato por infidelidade partidária.

No ano passado, porém, voltou a concorrer à prefeitura em eleição suplementar, já que o prefeito eleito em 2012, Jaime Benassi (PMDB), foi barrado pela Justiça Eleitoral por irregularidades na campanha.

“Ele ganhou a eleição graças ao apoio do PT, mas não cumpriu o programa do partido”, disse a vereadora.

Ao tomar posse, Raminelli ignorou as chaves da prefeitura e usou um método pouco convencional para adentrar o Paço Municipal: cortou o cadeado do portão usando uma serra.

Testemunhas. O prefeito petista de Dobrada, Emídio Bernardo do Nascimento Júnior, o Juninho, negou ter comparecido ao evento. “Recebi o convite, mas não compareci. Tenho testemunhas de que fiquei o dia todo na cidade, resolvendo problemas de falta de água.” O prefeito disse que entraria em contato com a campanha de Aécio para pedir a retirada da informação. “Sou do PT, estou com Dilma e nunca apoiei o Aécio”, afirmou.

Procurada, a assessoria da campanha de Aécio em São Paulo confirmou a presença dos dois prefeitos no evento.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesBoa Esperança do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.