Divulgação
Divulgação

Prefeito de BH demite funcionários que não estão na coligação de seu candidato

Um dos principais partidos afetados pelas demissões é o PSDB, que apoiou Lacerda em suas duas últimas eleições, e que agora tem o deputado estadual João Leite na disputa

Leonardo Augusto, Especial para O Estado de São Paulo

23 de agosto de 2016 | 14h25

Belo Horizonte - O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), iniciou a demissão de integrantes de partidos que não fazem parte da coligação à qual pertence seu vice, Délio Malheiros (PSD), nome que apoia na disputa pelo comando da capital. Lacerda, porém, negou tratar-se de "caça às bruxas", "mas de um ajustamento de pessoas ao projeto de administração que defendemos", disse.

Um dos principais partidos afetados pelas demissões é o PSDB, que apoiou Lacerda em suas duas últimas eleições, e que agora tem o deputado estadual João Leite (PSDB) como candidato. Já foram feitas trocas em pelo menos três regionais, que são as subprefeituras de Belo Horizonte: Centro-Sul, Barreiro e Pampulha, que eram comandadas por tucanos ou por indicações do partido. "O conceito é muito simples. Quem acredita no projeto está governando conosco, com essa visão de futuro, que defendemos", afirmou Lacerda.

O prefeito disse também que o município está propondo a integrantes de outros partidos com cargos estratégicos que mudem para outros postos. "É para não ter posição muito sensível em relação à disputa eleitoral", argumentou Lacerda. Em julho, durante a convenção que confirmou João Leite como candidato dos tucanos, o presidente nacional do PSDB, Senador Aécio Neves (MG), questionado sobre o destino dos colegas de partido que tinham postos na Prefeitura, disse que a decisão sobre os cargos era do prefeito.

Aliado distante.Lacerda e Délio Malheiros fizeram caminhada nesta terça-feira, 23, pela região Oeste de Belo Horizonte, mas sem um dos principais políticos locais, o vereador Preto (DEM), líder de Lacerda na Câmara Municipal. O partido do vereador está na coligação de João Leite. Constrangidos, apoiadores de Preto tiveram que esconder santinhos dele ao mesmo tempo em que participavam do ato de campanha de Délio Malheiros.

O candidato do PSD amenizou o fato de ter 3% de intenção de votos e 7% de rejeição, conforme mostrou pesquisa Ibope divulgada nessa segunda-feira, 22. "Estou absolutamente confortável, porque nem começamos o programa de televisão. O que mais me alegra é ter índice de rejeição baixo, o menor (entre os candidatos)", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.