Rodrigo Félix Leal
Rodrigo Félix Leal

Pré-candidatos de oposição ao governo do Paraná acusam gestão de favorecer prefeitos aliados 

Governadora Cida Borghetti negou favorecimento; postulantes ao Palácio Iguaçu participavam de sabatina da Associação dos Municípios do Paraná 

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 21h25

CURITIBA - Os pré-candidatos ao governo paranaense nas eleições 2018 Dr. Rosinha (PT) e Osmar Dias (PDT) - de oposição - criticaram na tarde desta terça-feira, 3, o ex-governador Beto Richa (PSDB), que deixou o cargo para concorrer ao Senado, e sua sucessora, Cida Borghetti (PP), acusando-os de favorecer as cidades cujos prefeitos apoiaram sua gestão, durante sabatina entre os postulantes ao Palácio Iguaçu organizada pela Associação dos Municípios do Paraná (AMP).

Cida, por sua vez, que é pré-candidata à reeleição, negou que o atual governo estadual tenha favorecido prefeituras aliadas, afirmando que sua gestão não levou em conta os partidos dos prefeitos ao determinar as ajudas concedidas aos municípios.

Já o pré-candidato Ratinho Junior (PSD), que foi secretário de Richa, não criticou a atual administração, mas disse que, caso eleito, vai “fazer melhor”.

++ Alckmin diz que não cogita Meirelles como vice 

Rosinha afirmou que nunca vai "perguntar de que partido o prefeito é" para firmar parcerias entre o Estado e municípios. “Farei um governo republicano, independente de partidos. Trabalharemos com integração e diálogo."

Em seu discurso, Dias fez críticas duras contra o atual governo e afirmou que atenderá todos os prefeitos igualmente, ressaltando "a grande quantidade" de convênios com prefeitos assinados recentemente pela atual governadora. No entanto, Dias afirmou que, se as parcerias firmadas pela governadora estiverem dentro da legalidade e da lei orçamentária, cumprirá os compromissos.

Cida defendeu sua gestão e as políticas implantadas por Richa. Ela afirmou que, desde que assumiu o governo, em abril, liberou R$ 4 bilhões aos municípios, e esse montante deve chegar a R$ 8,5 bilhões, em 3 mil convênios. “Esse é um governo municipalista, que atende a todas as demandas dos municípios e olha de igual maneira a todos, da menor cidade à capital do Estado."

++ MDB deixa Meirelles e candidatos a governador sem recursos do fundo eleitoral 

Ratinho Junior afirmou que a crítica de favorecimento partidário não “serve” a ele, já que, durante sua gestão à frente da Secretaria de Desenvolvimento Urbano “todos os municípios do Paraná receberam verbas”. Ratinho disse que sua pré-candidatura representa uma “quebra” a hegemonia de poder nas mãos de poucas famílias.

++ Alckmin busca vínculo com governo FHC e diz ter convocado 'pais do Plano Real'

Cerca de 100 pessoas - em sua maioria prefeitos paranaenses - compareceram à sabatina. Cada pré-candidato teve 30 minutos para fazer considerações e responder a cinco perguntas elaboradas pela AMP. Os questionamentos trataram de projetos para os municípios, política fiscal, planos para saúde e saneamento e transporte escolar. Foram convidados os quatro pré-candidatos mais bem-colocados nas pesquisas eleitorais. Todos assinaram um “termo de compromisso de municipalista” proposto pela associação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.