Pré-candidato e dirigentes preferem ficar 'em cima do muro'

A articulação por uma aliança com Gilberto Kassab gerou entre os petistas um grupo que, publicamente, se coloca "em cima do muro". Entre os quais se encontram o pré-candidato Fernando Haddad, alguns vereadores e os presidentes municipal e nacional do PT, respectivamente Antonio Donato e Rui Falcão. Estes dois últimos são largamente contrários à aliança, mas publicamente optam pela neutralidade porque funcionam como árbitros do processo eleitoral no partido - um em âmbito local e outro nacional - e ocupam cargos na institucionais da legenda.

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2012 | 03h02

Entre os contrários à possível entrada de Kassab estão a maior parte do núcleo haddadista que hoje trabalha na pré-campanha, vereadores e deputados que formaram em São Paulo o hoje desfeito grupo de Marta Suplicy (PT-SP), além da própria senadora e de toda a base petista ligada aos movimentos sociais e populares da sigla.

Do lado favorável estão Lula, seus articuladores políticos mais próximos, como o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho; o presidente do PT paulista, Edinho Silva; o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, além do novo líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto. Rechaçam a aproximação com o prefeito também vereadores ligados ao PTLM, grupo controlado por Tatto que representa cerca de 25% do diretório municipal do partido. / F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.