Reprodução Facebook/Luiz Carlos Heinze
Reprodução Facebook/Luiz Carlos Heinze

Pré-candidato ao governo gaúcho pelo PP declara apoio a Jair Bolsonaro

Luis Carlos Heinze divulgou vídeo ao lado de presidenciável, mas seu partido ainda não definiu apoio na eleição presidencial

Filipe Strazzer, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 14h28

PORTO ALEGRE - O pré-candidato ao governo gaúcho pelo PP, Luis Carlos Heinze, anunciou na noite desta quinta-feira, 12, seu apoio ao pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL-RJ) nas eleições 2018. Segundo o PP do Rio Grande do Sul, porém, esta decisão é exclusiva de Heinze e, no Estado, o partido espera decisões nacionais do sigla para definir apoio na eleição para presidente.

++ ‘Só não vamos fazer pacto com o diabo’, afirma Bolsonaro

++ Magno Malta já chamou Bolsonaro de desequilibrado

Em vídeo divulgado nas redes sociais do pré-candidato gaúcho, os dois parlamentares aparecem lado a lado. Heinze, deputado federal ruralista, no quinto mandato, afirma que é um “prazer” estar com Bolsonaro e promete apoio ao pré-candidato à Presidência. “O palanque do Bolsonaro será o nosso palanque. Nós, para governarmos e endireitarmos o Rio Grande, e Bolsonaro para endireitar o Brasil”, diz Heinze.

Bolsonaro, que se desfiliou do PP em 2015, deseja boa sorte a Heinze no vídeo. "O Rio Grande do Sul precisa de alguém que esteja mais do que preocupado, que faça algo pela nossa segurança", afirma o postulante à Presidência.

++ Com general, Bolsonaro vai ao Araguaia

Heinze afirmou ao Estado que também buscou apoio dos pré-candidatos ao Planalto Alvaro Dias (Podemos) e Flávio Rocha (PRB). “O Bolsonaro está fechado conosco. Ele está na direita e o palanque dele é conosco. Oferecemos o palanque (a Dias e a Rocha), mas não deu certo”, disse. A sigla de Dias fechou aliança com Jairo Jorge, pré-candidato ao governo gaúcho pelo PDT. Já o PRB ainda não definiu seu apoio no Estado.

Além do PP, a coligação de Heinze ao governo é composta por PSL, DEM e PROS, partidos abertamente apoiadores de Bolsonaro no âmbito estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.