PPS triunfa e encerra alternância tucano-petista

Luciano Rezende, do PPS, foi eleito para a prefeitura de Vitória (ES) com 52,73% dos votos ante 42,27% de Luiz Paulo (PSDB). A apuração registrou ainda 2,53% de votos em branco e 4,01% de votos nulos. O comparecimento registrado pelo Tribunal Superior Eleitoral foi de 78,62%, com 200.758 eleitores indo às urnas. A abstenção foi de 21,37%, equivalentes a 54.609 eleitores.

CLARISSA THOMÉ, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2012 | 03h03

A eleição de Rezende garante ao PPS sua única prefeitura entre as capitais. O resultado também interrompe uma sequência de 24 anos de gestões alternadas do PT e do PSDB, iniciada com o petista Victor Buaiz em 1989.

A candidata do PT neste ano era Iriny Lopes, ex-ministra da Secretaria de Políticas das Mulheres. Apoiada pelo atual prefeito, o também petista João Coser, ela recebeu 18,42% dos votos e ficou de fora do 2.º turno.

Apoiado pelo governador Renato Casagrande (PSB), o novo prefeito derrotou um antigo aliado. Rezende foi secretário de Saúde durante o mandato de Luiz Paulo, que governou Vitória entre 1997 e 2004.

Disputa. O Ministério Público eleitoral de Vitória tentou barrar as duas candidaturas sob o argumento de que tanto Rezende quanto Luiz Paulo teriam responsabilidade por irregularidades cometidas em 2003 na Secretaria de Saúde da capital capixaba. A ação, porém, não prosperou na Justiça Eleitoral.

No 1.º turno, Rezende também havia ficado na frente, com 39,14% dos votos. Luiz Paulo teve 36,69% dos votos. Das 17 capitais que realizaram 2.º turno ontem, o PSDB tinha candidatos em oito.

A campanha em Vitória teve um tom pesado desde o 1.º turno. Luciano Rezende afirmou antes da votação do dia 7 que seu adversário seria alcoólatra e viciado em drogas.

No início da disputa do 2.º turno, Luiz Paulo chegou a levar seus três filhos à TV para rebater as acusações. O candidato afirmava que haveria uma "virada" a partir deste momento, o que acabou não se confirmando nas urnas.

Rezende também acusou Luiz Paulo de ter tentado conseguir apoio de um aliado seu, o senador Magno Malta (PR). O adversário respondeu que o candidato do PPS "escondeu" o senador.

VITÓRIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.