População quer mudança na forma de governar, indica pesquisa

Para 64% dos entrevistados pelo CNT/MDA o próximo mandatário tem que mudar total ou parcialmente sua forma de atuar

Ricardo Brito e Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

23 de setembro de 2014 | 11h11

Brasília- Levantamento realizado pelo CNT/MDA mostra que a população deseja mudanças no próximo governo. Para 64% dos entrevistados, a forma de atuar do próximo presidente tem que mudar total ou parcialmente. Ao todo, 24,5% disseram que o próximo presidente tem que mudar totalmente a forma de governar e outros 39,5% afirmaram que é preciso mudar a maioria das ações para governar.

Outros 27,9% dos entrevistados defenderam que o próximo presidente mantenha a maioria das ações e outros 6,6% mantenha totalmente a forma atual de governar.

Apesar do desejo de mudança, a avaliação do jeito de governar da presidente Dilma se manteve estável, oscilando dentro da margem de erro. A avaliação do desempenho pessoal da presidente oscilou um ponto porcentual para baixo e atingiu 51,4%. No último levantamento CNT/MDA, publicado em 9 de setembro, o porcentual dos que avaliavam positivamente o desempenho de Dilma à frente do governo era de 52,4%.

A desaprovação de Dilma, por sua vez, oscilou 43,8%, ante 42,9% na sondagem anterior. Dos entrevistados, 4,8% não souberam ou não responderam à pergunta (4,7% na pesquisa anterior).

Segundo a CNT, foram entrevistados 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 20 e 21 de setembro. A margem da pesquisa de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00753/2014.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõespesquisa CNTDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.