Polícia vê morte de petista em SC como homicídio

O PT de Santa Catarina quer que a Polícia Federal apure a morte do vereador do partido Marcelino Chiarello, em Chapecó, na segunda-feira. Seu corpo foi encontrado suspenso por uma alça de mochila na janela do quarto.

FLORIANÓPOLIS, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2011 | 03h06

O caso está sendo tratado como homicídio pela Polícia Civil, que considera praticamente nula a hipótese de suicídio.

Chiaretto denunciou casos de corrupção na administração municipal e havia comentado que precisava de proteção.

O secretário-geral do PT-SC, José Roberto Paludo, disse que as supostas ameaças tinham relação com as denúncias. A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) qualificou o caso como crime político.

O prefeito José Caramori (PSD) disse que desconhece as denúncias e lamentou ontem a morte do vereador. / JÚLIO CASTRO, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.