Polícia prende suspeito de matar líder do MST no Rio

De acordo com a polícia, funcionário público queria o lugar de Cícero dos Santos no comando do grupo em Campos

FÁBIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2013 | 02h04

O funcionário público José Renato Gomes de Abreu, de 45 anos, foi preso ontem sob suspeita de ter matado anteontem Cícero Guedes dos Santos, líder do Movimento dos Sem-Terra (MST) em Campos, no norte fluminense, no último sábado.

Embora trabalhasse na Prefeitura de São João da Barra, Abreu morava no acampamento do MST na usina Cambahyba, em Campos, onde foi localizado.

Segundo a Polícia Civil, que chegou ao suspeito após quebrar o sigilo telefônico da vítima, Abreu é aliado de traficantes de uma comunidade situada nas imediações do acampamento e pretendia assumir a liderança do MST na região, substituindo Santos.

A pedido da Polícia Civil, a Justiça decretou a prisão temporária de Abreu por 30 dias. Santos foi morto com dez tiros, que o atingiram na cabeça e no peito, quando passava por uma estrada vicinal. Ele havia participado de uma reunião no acampamento e estava voltando para sua casa, na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.