Filipe Araújo/Estadão
Filipe Araújo/Estadão

Polícia Federal indicia duas pessoas por crime de desordem eleitoral no Espírito Santo

Caso aconteceu no primeiro turno das eleições na cidade de Cachoeiro de Itapemirim

Vinícius Rangel, especial para, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2018 | 15h31

Vitória - Duas pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal, no Espírito Santo, pelo crime de promoção de desordem nos trabalhos eleitorais. A PF concluiu na tarde desta sexta-feira, 26, o inquérito policial que apurava atos contra a atividade de um servidor público lotado em um dos cartórios eleitorais de Cachoeiro de Itapemirim, na região Sul do Estado. A polícia não divulgou a identidade dos indiciados.

A ocorrência foi registrada no domingo, 7, durante a votação para o primeiro turno das eleições 2018. Durante o pleito, o denunciado foi a um dos cartórios eleitorais de Cachoeiro de Itapemirim relatar que não conseguia votar em seu candidato a presidente. Exaltado, passou a gritar com um servidor público, que explicou que o voto dele havia sido registrado adequadamente e que não havia problema com as urnas eletrônicas.

Um outro rapaz que estava no local passou a gravar a ocorrência e a filmagem de celular fez com que o homem ficasse ainda mais agressivo. A situação foi contornada, mas o cinegrafista amador, mesmo com reiterados pedidos de exclusão da gravação, encaminhou o vídeo para vários grupos de WhatsApp e postou em redes sociais.

O fato causou grande prejuízo para a imagem do servidor público do cartório de Cachoeiro e o juiz eleitoral Fábio Pretti encaminhou o caso para investigação da Polícia Federal. O delegado Fábio Carlos Cavarra ouviu os acusados e confirmou o crime cometido, indiciando os dois envolvidos no crime de promoção de desordem nos trabalhos eleitorais, conforme previsto no artigo 296 da Lei 4.737/65.

O inquérito será encaminhado para o Ministério Público para a adoção das medidas necessárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.