Polêmica marca a trajetória do sociólogo suíço

A polêmica e a provocação fazem parte da trajetória o sociólogo Jean Ziegler. Nos anos 90, escreveu um livro que rompeu um tabu na Suíça e revelou ao mundo como funcionavam a lavagem de dinheiro e o esquema dos bancos suíços com suas contas secretas. Foi acusado, em seu próprio país, de traidor. Agora, é sobre os motivos da fome no mundo que Ziegler se debruça, com o mesmo espírito.

GENEBRA , O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2013 | 02h08

O livro Destruição em Massa - Geopolítica da Fome está sendo lançado com a tela "Criança Morta", de Cândido Portinari, na capa da edição em português.

O autor repassa a questão da fome pelo mundo, desde seu aspecto biológico, mas principalmente suas causas econômicas e políticas. A mensagem é clara: o mundo tem alimentos suficientes para todos. Portanto, quem morre de fome hoje morre assassinado. "A fome estrutural significa destruição psíquica e física, aniquilação da dignidade, sofrimento sem fim", aponta.

Em sua mira estão especuladores, multinacionais e governos que deram suas costas ao problema. "O planeta está saturado de riquezas", diz. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.