PMDB paga Kombis com Chalita e petista

O PMDB coloca nas ruas de São Paulo a partir de domingo 30 Kombis sonorizadas e com adesivos com duplo objetivo: apoiar a campanha do candidato do PT à Prefeitura, Fernando Haddad, e fortalecer a imagem do candidato derrotado do partido, Gabriel Chalita, do PMDB.

BRUNO LUPION, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2012 | 03h09

Os carros portarão adesivos com a foto de Haddad ao lado de Chalita, tocarão os jingles dos dois candidatos e serão identificados com o logotipo do PMDB.

O partido também preparou centenas de cavaletes com a foto de Haddad e Chalita, a serem distribuídos pelas zonas eleitorais onde o candidato do PMDB obteve mais votos.

Apesar de, no primeiro turno, o PMDB ter reclamado de falta de recursos - Chalita chegou a admitir, em entrevista à TV Estadão, que estava fazendo campanha na base do "fiado" - o partido decidiu abrir o cofre para cacifar seu candidato a assumir um ministério do governo federal.

A estratégia inclui os quatro vereadores eleitos pelo PMDB, por ordem de votos, Ricardo Nunes, George Hato, Dr. Calvo e Nelo Rodolfo. Chalita ofereceu um jantar em sua casa para todos, na semana passada, quando transmitiu a orientação da direção nacional do PMDB e pediu que colocassem suas estruturas de campanha a serviço da campanha de Haddad.

Nunes já manifestou adesão à causa e cedeu material e equipe para a realização de uma carreata para Haddad em Capela do Socorro, zona sul, no domingo. Hato, filho do deputado estadual Jooji Hato, tem feito visitas a eventos da comunidade japonesa para pedir votos a Haddad.

Dr. Calvo, ex-petista que integrou o governo Marta Suplicy (PT), participará de eventos relacionados à área da saúde de Haddad e distribuirá material de campanha em seu reduto, na Casa Verde, zona norte. No domingo, Nelo Rodolfo, também eleito, usará sua equipe para realizar uma carreata em Perus, na zona norte, com Chalita e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Para azeitar a aliança, anteontem Haddad também recebeu Chalita para um jantar em sua casa, não divulgado à imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.