PMDB insiste em assumir Integração

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) disse ontem à presidente Dilma Rousseff que o partido não abre mão de indicar o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) para o Ministério da Integração Nacional. Até setembro, a pasta era do PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que rompeu com o governo para disputar o Planalto.

Vera Rosa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2014 | 02h07

O PMDB avisou a Temer que reagirá com vigor se o ex-ministro Ciro Gomes ocupar o comando da Integração Nacional. Ele já foi ministro da pasta no primeiro governo Lula mas agora está de olho no Ministério da Saúde. A ideia de Dilma é aproveitá-lo em um eventual segundo mandato no Planalto.

A largada da reforma será dada pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e pelo titular da Saúde, Alexandre Padilha. Ele será candidato do PT ao governo de São Paulo e deve sair em fevereiro - o mais cotado para o lugar é o secretário Mozart Sales, que coordena o programa Mais Médicos.

Para a Casa Civil, Dilma tende a indicar o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Gleisi deve deixar o cargo no fim do mês - vai disputar o governo do Paraná. Em conversas reservadas, Dilma admitiu que avalia transferir Marta Suplicy da Cultura para a Educação - mas uma ala do PT defende o secretário executivo do MEC, José Henrique Paim Fernandes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.