Planalto busca nos bastidores apoio de PTB a Marta

O Palácio do Planalto vai atuar nos bastidores para ajudar a candidata do PT, Marta Suplicy, a conquistar apoio de aliados no segundo turno da eleição à Prefeitura de São Paulo. Em conversas reservadas, auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitem que, se o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, não passar da primeira etapa do embate, o alvo do assédio governista será o PTB do deputado cassado Roberto Jefferson.Embora Jefferson tenha se tornado desafeto de Lula desde que denunciou o escândalo do mensalão, em 2005, o PTB integra a base aliada do Planalto no Congresso. Além disso, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, é do PTB. Atualmente, o partido não só apóia Alckmin como tem o vice da chapa: o deputado estadual Campos Machado."No segundo turno, o PTB vai de Geraldo Alckmin porque é ele que estará lá", disse Jefferson, presidente nacional da legenda. Mesmo assim, o ex-deputado deixou a porta aberta para o namoro com o PT. "Tenho profunda admiração, simpatia e amizade por Marta Suplicy", completou. Impressionados com a rápida ascensão do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que concorre à reeleição e está em guerra com Alckmin, integrantes da equipe de Marta abordaram Campos Machado no intervalo do debate da TV Record, realizado no domingo. "Passada a eleição, nossa primeira providência será marcar uma conversa com você", avisou um petista.Secretário-geral da Executiva do PTB, Machado abriu um sorriso, mas desconversou. Mais tarde, disse não ver futuro nessa discussão. Apoiador histórico do PSDB desde o governo de Mário Covas (1995-2001), ele não esconde a antipatia por Marta, ao contrário de Jefferson. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.