Piloto avisou que tentaria arremeter antes de acidente

Calmo, comandante avisou que ia fazer um 'bloqueio de Santos e o rebloqueio', o que indica o plano de tentar pousar novamente

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 19h47

Um rápido diálogo, via rádio, entre o piloto do avião que conduzia Eduardo Campos (PSB) e a equipe de controle da pista revela que o comandante da aeronave comunicou sua intenção de arremeter. Com voz calma e em linguagem técnica de aviação, ele informou que iria proceder o "bloqueio de Santos e o rebloqueio", o que indica o plano de tentar pousar novamente na pista 35, que fica no Guarujá, mas pertence à base aérea de Santos, no litoral paulista. Ouça o diálogo

Segundo o vice-presidente da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves (Appa), Humberto Branco, nessa pista, a orientação dada aos pilotos é de arremeter caso não exista visualização da pista a 700 pés. A aproximação por instrumentos é procedimento padrão, ainda mais com o clima registrado no local nesta manhã. De acordo com boletins meteorológicos de Santos, usados pela aviação e obtidos pelo Estado, a visibilidade no horário do acidente estava bastante prejudicada. Às 11h, era de aproximadamente 2 mil pés. Havia ainda muita nuvens e chovia.

O piloto arremeteu de acordo com as norma da pista, para o lado esquerdo. Como a aeronave caiu a cerca de 4km da cabeceira da pista, a arremetida, em tese, já havia sido realizada. O problema que levou a aeronave a perder altitude e cair, no entanto, ainda não são conhecidas.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.