PF investigou empresa

Segundo investigações da Operação Monte Carlo, a construtora de fachada Alberto e Pantoja registrou operações atípicas durante o ano eleitoral, período em que movimentou R$ 17,8 milhões. Duas empresas, que embolsaram R$ 210 mil da Pantoja, doaram R$ 800 mil a candidatos. Entre eles Marconi Perillo (PSDB) e o deputado federal Sandes Júnior (PP-GO), ambos citados nas investigações da PF por supostas relações com a quadrilha. Registros do Tribunal Superior Eleitoral mostram que, um mês após a eleição, Perillo recebeu R$ 450 mil da Rio Vermelho Distribuidora, citada em laudos da PF que mostram transferências feitas pela Alberto e Pantoja em 2010 e 2011. O atacadista recebeu R$ 60 mil da empresa, que tem como procurador Geovani Pereira, homem de confiança de Cachoeira.

O Estado de S.Paulo

01 Junho 2012 | 03h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.